5ª Conferência Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres de Campinas/SP

Participe da 5ª Conferência Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres de Campinas/SP que será dia 15 de agosto, no próximo sábado no Sindicato dos Bancários (Rua Ferreira Penteado, 460, Centro)
Todas as mulheres são bem vindas, mesmo aquelas que não participaram das pré-conferências ocorridas em julho. 
Venham discutir as políticas públicas de nosso município!!!
 
Para entrar na lista do Conselho Municipal de Direitos das Mulheres de Campinas envie uma mensagem para <cmdm.mulher@campinas.sp.gov.br>.

cartaz conf mulher ago (2)

6º Frango, Polenta e Política das PLPs Cida da Terra

Está chegando o 6º Frango, Polenta e Política das Promotoras Legais Populares Cida da Terra de Campinas e Região!!!

Venham todas e todos festejar conosco por um mundo sem violência contra a mulher!
Esse momento é de confraternização e também de manifestação, pois nós, PLPs, exigimos políticas públicas que protejam e amparem as mulheres!

ATRAÇÕES:
Meire da Joana D’Arc (MPB)
Samba de YáYá
Urucungos Puítas E Quijengues
Nil Sena
Samba das Mina

Tragam as pessoas que lhe são queridas e vamos tod@s fortalecer cada vez mais esta luta!!

Os convites estão à venda com as promotoras legais, por R$25,00.

Procure a PLP mais próxima de você.

Também estaremos vendendo durante o curso, às quartas feiras, no espaço do Sindicato dos Bancários, às 19h00.

Ou então, pelo telefone: 991084230

Apoio: Jongo Dito Ribeiro

Evento no face

frango polenta e politica

Ato Público Por Uma Educação Libertadora – Contra a Emenda da Opressão

Por Uma Educação Libertadora

Alteramos o horário, e o cartaz não foi atualizado.
Estaremos a partir das 17h na frente do Plenário da Câmara.

Por favor, ajudem a divulgar.

2015 é o ano de votação dos Planos Municipais de Educação (PMEs). Desde o início da votação das diretrizes, que serão válidas pelos próximos dez anos, há uma onda conservadora e intolerante nos discursos dos Legislativos de cada cidade. Em Campinas, alguns vereadores propuseram uma emenda à Lei Orgânica do Município que proíbe a inclusão e o debate dos termos “gênero” e “orientação sexual” nas escolas.

Para nós a escola tem o papel de proporcionar uma educação libertadora, livre de preconceitos e de discriminação, desconstruindo
desigualdades, naturalizações e privilégios possibilita – através de uma vivência e experiência diversa – a construção de sujeitos e sujeitas políticas mais cidadãs, conscientes de seu papel na sociedade e no
cotidiano como pessoas que respeitam umas as outras e vivem sob o princípio máximo da igualdade (previsto na nossa Constituição Federal).

Precisamos incentivar a realização de debates nas escolas que proporcionem elementos para reflexão e promovam o reconhecimento das diferenças como forma de superarmos os preconceitos e desigualdades vivenciadas por mulheres, lésbicas, gays, transexuais, dentre outros. Estas desigualdades muitas vezes se manifestam na vivência de diversos tipos de violência e exclusão.
Muitos dos que são contra esse debate, ainda incipiente nas escolas, não compreendem de fato do que se trata a discussão que é nomeada de maneira grosseira e equivocada como “ideologia de gênero”- precisamos entender que qualquer manifestação de opiniões está, no limite, alinhada a uma ideologia, e se há uma ideologia de gênero vigente hoje, ela está a favor da manutenção das desigualdades e perpetuação de violências contra tudo aquilo que foge à norma.

Vamos ocupar a frente do Plenário da Câmara neste dia 03/08, quando os vereadores voltam de seu recesso, para mostrar que não nos esquecemos do retrocesso proposto por alguns deles e que não aceitaremos censura, intolerância e preconceito na cidade de Campinas.

 

Vamos conversar sobre o respeito às diferenças? Ato-panfletagem contra a emenda da opressão

Ato-panfletagem no Largo do Rosário, a partir das 16h no dia 21/07 – terça feira.

Por que estamos nos mobilizando???

2015 é o ano de votação dos Planos Municipais de Educação (PMEs). Desde o início da votação das diretrizes, que serão válidas pelos próximos dez anos, há uma onda conservadora e intolerante nos discursos dos Legislativos de cada cidade. Em Campinas, alguns vereadores propuseram uma emenda à Lei Orgânica do Município que proíbe a inclusão e o debate dos termos “gênero” e “orientação sexual” nas escolas.

Para nós a escola tem o papel de proporcionar uma educação libertadora, livre de preconceitos e de discriminação, desconstruindo
desigualdades, naturalizações e privilégios possibilita – através de uma vivência e experiência diversa – a construção de sujeitos e sujeitas políticas mais cidadãs, conscientes de seu papel na sociedade e no
cotidiano como pessoas que respeitam umas as outras e vivem sob o princípio máximo da igualdade (previsto na nossa Constituição Federal).

Precisamos incentivar a realização de debates nas escolas que proporcionem elementos para reflexão e promovam o reconhecimento das diferenças como forma de superarmos os preconceitos e desigualdades vivenciadas por mulheres, lésbicas, gays, transexuais, dentre outros. Estas desigualdades muitas vezes se manifestam na vivência de diversos tipos de violência e exclusão.
Muitos dos que são contra esse debate, ainda incipiente nas escolas, não compreendem de fato do que se trata a discussão que é nomeada de maneira grosseira e equivocada como “ideologia de gênero”- precisamos entender que qualquer manifestação de opiniões está, no limite, alinhada a uma ideologia, e se há uma ideologia de gênero vigente hoje, ela está a favor da manutenção das desigualdades e perpetuação de violências contra tudo aquilo que foge à norma.

Vamos conversar com a população, mostrando nossa posição nesta próxima terça-feira, valorizando a beleza da diversidade, lutando pelo respeito à todas as famílias!

Este ato-panfletagem é uma preparação para um Ato Público na frente do Plenário da Câmara, no dia 03/08, dia que os vereadores voltam de seu recesso, para mostrar que não nos esquecemos do retrocesso proposto por alguns deles e que não aceitaremos censura, intolerância e preconceito na cidade de Campinas.
Na nossa cidade e nas nossas escolas, valorizamos as diferenças e cultivamos o respeito.

11012132_1015501845126824_7090623614400794771_nMais informações:

https://www.facebook.com/events/1605942979684096/1605947916350269/

Campinas derrubando o preconceito

Tradicional Feijoada do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de Campinas

Tá chegando a dia de comer a feijoada mais gostosa de Campinas!!!!

 O Sindicato das Trabalhadoras Domésticas organiza atividades para confraternização entre as associadas e também para ajudar no financiamento dos boletins semestrais e gestão.

Estamos com convites a venda aqui em Barão Geraldo, quem quiser só entrar em contato pelo email mesmo ou ligar no Sindicato para reservar.

10275385_863704273666114_2373273767421375967_o

DE PERNAS PRO AR: A PEDAGOGIA A PARTIR DA PERSPECTIVA DA INFÂNCIA

CURSO DE FORMAÇÃO na área da Educação

Realização Mandato do vereador Paulo Bufalo (PSOL)

Apoio da Cedecamp – Centro de Defesa de Direitos de crianças e adolescentes de Campinas e Câmara Municipal.

Início em 09 de junho, às 19h, no Plenarinho da Câmara Municipal de Campinas.

ATENÇÃO: ABERTURA E ENCERRAMENTO NO TEATRO DA IMA – R. PADRE JOÃO GARCIA, 101 – PONTE PRETA – AO LADO DA SANASA.

Foto: João Zinclar - Açude Coremas Mãe D´água-Souzas (PB) do livro O Rio São Francisco e as águas no Sertão.

Foto: João Zinclar – Açude Coremas Mãe D´água-Souzas (PB) do livro
O Rio São Francisco e as águas no Sertão.


Programação:
09/6 – 19h – ABERTURA: Arte, cultura e infância – Tiche Viana

27/6 – 9h30 – SIM à igualdade de gênero: um debate urgente e necessário – Cintia Patti e Joseane Bufalo

02/7 – 19h – 25 anos de ECA: avanços e desafios – Paulo Bufalo e CEDECAMP

04/8 – 19h – Por uma pedagogia da escuta: infância e relações étnico-raciais no cotidiano da educação – Márcia Anacleto de Souza

22/8 – 9h30 – Essa ciranda não é minha só: infância e movimentos sociais – Fábio Accardo de Freitas

03/9 – 19h – Escola também é lugar de infância – Cristina Campos e Vilma Campos

26/9 – 9h30 – Criança e adolescente e o direito à cidade e ao meio ambiente – Levante Popular

08/10 – 19h – Vivência:Brincadeira e cultura popular – ser brincante desde criança – Renata Oliveira

16/10 – 19h – Arte e cultura na formação de docentes que trabalham com crianças – Ana Lucia Goulart de Faria

29/10 – 19h – Atualidade da experiência cubana na educação – à confirmar

Neste sábado: XI Manifestação Sáfica e I Caminhada Lésbica de Campinas

904_658735834152924_2113601570_n

Vem aí a XI Manifestação Sáfica – Evento de Mulheres Lésbicas e Bissexuais de Campinas!
O evento, que precede a Parada do Orgulho LGBT de Campinas, acontecerá na Praça Bento Quirino (Praça do Sucão), a partir das 18h com a Dj Luana Hansen.

Este ano o evento contará com a presença de diversxs artistas que apoiam o movimento LGBT e estão na luta pela diversidade sexual e pelas especificidades das mulheres lésbicas e bissexuais.
Vamos ocupar esse espaço!

Atrações confirmadas:

///// Luana Hansen

///// Drika Ferreira

///// Samba das Mina

///// Marília Corrêa

No mesmo sábado, 27 de junho, a partir das 14h acontece a PRIMEIRA CAMINHADA DE LÉSBICAS E BISSEXUAIS DE CAMPINAS, um dos eventos que antecedem a 16ª Parada do Orgulho LGBT (Domingo dia 28).
Nossas principais avenidas serão mais uma vez palco de luta por igualdade de direitos na região metropolitana de Campinas e em especial pela visibilidade lésbica.

A concentração ocorrerá a partir das 14 horas, na Av. Francisco Glicerio no Largo do Pará em frente ao Palácio da Justiça.

“Vai não se esconde, vem pro sapabonde!!!”

Puta Dei Campinas – Dia 02 de junho

Preparem-se!
Vem aí a segunda Edição do Puta Dei Campinas.

Dia 02 de junho às 19h na Estação Cultura

Venha celebrar conosco o Dia Internacional da Prostituta, data em que buscamos visibilizar a nossa luta por direitos e reconhecimento.

Na nossa forma Puta de fazer movimento, todas e todos são bem vind*s para desfrutarem com prazer desse momento que evidencia parte da cultura da zona, repleta de sensualidade, potência e vida!

PROGRAMAÇÃO:

– Performance Bate-cabelo
– Performance Surpresa
– Desfile Daspu Real
– Púlpito de pessoas “Puta da Vida”
– Espaço criança

Realização:
Associação Mulheres Guerreiras – Campinas

Puta dei

 

Dia Internacional da Prostituta:

No dia 2 de junho de 1975, 150 prostitutas ocuparam uma igreja em Lyon, na França, para denunciarem as violências e perseguições que sofriam por parte da polícia e dos poderes municipais.

Esse fato marca o início do movimento organizado de prostitutas no mundo, que busca a o reconhecimento do trabalho sexual como ocupação legítima e os direitos d*s trabalhador*s que o exercem.

Tendo em vista que a luta da profissionais do sexo muitas vezes é silenciada no nosso país, as organizações de prostitutas no Brasil promovem eventos no dia 2 de junho para visibilizar nossas pautas, nossas realidades, e por que não, festejar nossas conquistas.

Assim nasceu o Puta Dei , realizado pela primeira vez em Belém em 2012 e que se espalhou por todo o Brasil! Nossa proposta é realizar um evento que traga um pouco da irreverência e do humor do movimento de puta como uma forma de lutar contra o estigma e preconceito social, principais obstáculos para a conquista de nossos direitos.

 

Evento no face

Audiência pública sobre debates de gênero nas escolas de Campinas

banner

 

Saudações!

Estamos divulgando amplamente a tramitação na Câmara Municipal de Campinas de uma emenda, proposta pelo vereador Campos Filho, que almeja proibir qualquer debate sobre gênero nas escolas.

Acreditamos que a proibição não é o caminho. A escola é um espaço privilegiado de aprendizado, respeito ao próximo e diversidade.
Gostaríamos de diferenciar igualdade de gênero de ideologia de gênero.
Não existe tal ideologia, este é um discurso alarmista encampado por setores políticos que não levam em consideração a laicidade do Estado e a diversidade de nossa sociedade.
Consideramos que não há “ideologia de gênero” sendo impostas nas escolas mas sim que está sendo trilhado um caminho de debate aberto, infelizmente ainda inicial, sobre a construção dos papéis de gênero em nossa sociedade e o reconhecimento das diferentes sexualidades a partir da perspectiva da igualdade de gênero, raça, religião e orientação sexual a fim de combater todas as formas de preconceito e descriminação. Como dita nossa soberana Constituição Federal de 1988.

A escola tem por princípio e obrigação a não reprodução de preconceitos, e por isso, acreditamos que opiniões divergentes sobre o assunto podem sempre existir, mas a proibição do diálogo sobre o tema é anti-democrático, fere o principio do estado laico e não colabora para a desconstrução dos preconceitos e violências que são vivenciados por mulheres, gays, lésbicas, trans*, negros, dentre outros.

E como é uma proposta de emenda a Lei Orgânica Municipal, ela tem que passar por uma Audiência Pública antes de ser votada pelos vereadores. Chamamos a comunidade para compor o debate na Audiência Pública sobre “Termo Gênero no Plano Municipal de Educação”, organizada pela Comissão de Constituição e Legalidade, que será presidida pelo Vereador Thiago Ferrari, dia  01/06 – segunda-feira às 15h horas no Plenarinho da Câmara Municipal
(entrada pela Rua Roberto Mange, 66)

 
Na sexta-feira dia 29/05, às 14h vai ocorrer uma reunião da comissão especial de estudos sobre “Ideologia de Gênero no Plano Municipal de Educação.”Não podemos deixar que o conservadorismo tome conta da nossa legislação!

Se já é difícil fazer o debate nas escolas hoje, imagina com essa proibição… Isso é censura!
Precisamos de formação de professores e de confecção de materiais didáticos que não corroborem com violência de gênero, racismo, homofobia, lesbofobia, transfobia, preconceitos de qualquer tipo.
Nossa ampla participação é super importante neste momento!


 

Esperamos vocês!!!!!!!

Evento no face

 

Proposta de emenda:

PELOM 145/2015, PROCESSO 218888, DE AUTORIA DO SR. VEREADOR CAMPOS FILHO, QUE “ACRESCENTA PARÁGRAFO ÚNICO AO ART. 222 DA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS”. Disponível em: http://sapl.campinas.sp.leg.br/consultas/materia/materia_mostrar_proc?cod_materia=300966

 

 

Temos nos deparado constantemente com a necessidade de cursos, oficinas, palestras nas escolas para trabalhar junto aos alunos e professores temáticas relacionados ao gênero, sexualidade e violência contra a mulher. Essa demanda tem surgido a partir das próprias vivências nas escolas, a convite de professores, coordenadores pedagógicos e alunos, no sentido de ampliar o diálogo sobre o tema, devido a muitas situações de violência e falta de conhecimento que as escolas vivenciam no dia-a-dia.
É urgente a formação das professoras e dos professores para encampar este debate com respeito e qualidade!

Alguns materiais que utilizamos:
Gênero e Diversidade nas escolas:
http://estatico.cnpq.br/portal/premios/2014/ig/pdf/genero_diversidade_escola_2009.pdf
Escola sem Homofobia do MEC:
http://revistaescola.abril.com.br/pdf/kit-gay-escola-sem-homofobia-mec.pdf